: : FALE CONOSCO : : Dúvidas Frequentes : : WEBMAIL
Secretaria > Detalhe
Mapa do Site
Página Inicial
Agenda do Secretário
Login
Quem Somos
Acesso à informação
Educação Infantil
Ensino Fundamental e Médio
Orientações Curriculares
CEUs
Cadastro de Demanda
Biblioteca Pedagógica
Memória Técnica Documental
Memorial do Ensino Municipal
Glossário de Siglas
Brincadeiras infantis destacam Centro de Educação Infantil da Zona Sul

Imprimir

Pelo terceiro ano consecutivo, o Centro de Educação Infantil (CEI) Vereador José Gomes de Moraes Netto, localizado na zona Sul de São Paulo, está entre as 31 melhores escolas de Educação Infantil e Fundamental I de todo o país que valorizam o brincar e o aprender pela experiência nas práticas escolares. O destaque vem sendo apontado pelo Programa Pelo Direito de Ser Criança, promovido pelo Instituto Sidarta e Omo (Unilever). Desta vez, a escola municipal de São Paulo chamou atenção entre mais de quatro mil unidades de educação de todo Brasil.

 

Entrar no CEI José Gomes, no bairro do Cursino, é se deparar com o mundo colorido das histórias infantis: as crianças podem se relacionar com os bichinhos de jardim, alguns preferem subir a amoreira e o abacateiro do bosque em busca de uma aventura, é possível viajar com os livros no cantinho batizado de Mar de Histórias, se quiser fechar os olhinhos e sonhar, basta ouvir a professora enquanto ela conta um conto para os pequenos. Mas e os brinquedos? “As crianças têm contato com objetos não estruturados, como um tecido, que pode ser o cabelo da princesa, a capa do Batman, ou o avental da mamãe”, explica a coordenadora pedagógica Shirley Maria de Oliveira. “Assim, a criança joga com o pensamento e a capacidade de imaginar se potencializa”.

 

Criadora do projeto Brincar: por uma infância plena e feliz, Shirley conta que as 112 crianças que chegam todos os dias na escola passam 10 horas de emoções e descobertas, tudo por meio do brincar. “Não falamos em atividade, mas em vivências, experiências, atividade é dever”, reforça ela. Enquanto as crianças circulam pelos “espaços do brincar”, o educador aparece como um potencializador - colocando objetos, livros, apresentando cantigas - e um observador de como a criança está se relacionando com aquele mundo que se apresenta a ela.

 

Shirley lembra que muitas crianças, em seus primeiros dias no CEI, mostram a necessidade de se encontrarem com novos elementos para aprimorar o conhecimento. “Elas representam aquilo que vêem no cotidiano doméstico, na TV, brincam por exemplo de casinha e de polícia”, explica. É aí que entra o professor, para qualificar a brincadeira, mostrando um mundo novo, para a brincadeira de faz de conta ganhar novos enredos e novos personagens.

 

Até mesmo a maneira como as experiências são postas fazem com que os pequenos criem diferentes tipos de relação com o universo ao seu redor. Um exemplo é na hora da contação de histórias. “Quando o educador lê, o primeiro impulso da criança é querer ver o livro, quando ele apenas conta a história, percebemos que o primeiro impulso é abraçá-lo, é um encontro de almas”, analisa a professora Shirley. Para ela, até mesmo as brincadeiras individuais devem ser valorizadas, pois é quando a criança vive a sua própria subjetividade.

 

A Rede em Rede

 

Um dos programas norteadores do trabalho no CEI José Gomes é o Rede em Rede, de formação continuada para professores, coordenadores pedagógicos e diretores da Educação Infantil. Criado pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo em 2006, o programa já emitiu cerca 3,6 mil certificados pelas formações. Tem como objetivo estimular a renovação do saber sobre a criança, reconhecendo que ela é um sujeito de direitos a ter acesso a bens culturais e aprendizagens significativas em um ambiente desafiador. 

 

Premiação

 

Em 2008, o projeto do CEI paulistano ficou entre as cinco escolas premiadas entre outras 476 unidades do Estado de São Paulo. No ano seguinte foi premiado dentre 1.750 escolas. A homenagem e a classificação final de 2010 será divulgada na próxima quarta-feira (20), na Estação das Artes na Sala São Paulo, às 14h00. Para a coordenadora pedagógica, o mais importante é o fato de as crianças ficarem marcadas com as mais belas lembranças de sua infância. “O brincar das crianças é como o vôo livre dos pássaros: os pássaros vivem a plenitude de serem pássaros, voando. As crianças vivem a plenitude de serem crianças, brincando!”, completa Shirley.



03/01/2013 - 10:58